Solidão na pandemia: como lidar?

5 minutos para ler

Com o aumento dos casos de coronavírus pelo mundo, o isolamento social tornou-se algo cada dia mais necessário e, atualmente, ocupa uma posição de destaque entre os passos mais importantes para enfrentar a pandemia e conter a doença.

Embora seguir essa diretriz seja essencial em meio a uma crise como essa, ficar em casa, com contato humano limitado, pode ter um impacto bastante significativo em nossa saúde mental, causando uma série de sentimentos negativos.

Mas, afinal, como enfrentar a solidão na pandemia quando não há outra opção além do distanciamento? É possível contornar essa situação e aumentar a qualidade de vida e o bem-estar mesmo com os medos e inseguranças do dia a dia? Vamos descobrir mais no artigo a seguir.

Como o distanciamento tornou-se uma porta de entrada para a solidão?

Durante a pandemia da Covid-19, grande parte da população se viu obrigada a mudar suas rotinas, permanecendo por longos períodos em casa e adaptando trabalho e hobbies ao isolamento social.

O home office tornou-se praticamente indispensável e o contato direto com outras pessoas passou a ser, predominantemente, virtual.

Se por um lado isso parecia uma boa ideia, ao menos em um primeiro momento, não levamos muito tempo para perceber o quanto o sentimento de solidão na pandemia poderia nos afetar de maneira significativa.

Em um estudo intitulado “So Lonely I Could Die” (Tão Solitário Que Eu Poderia Morrer), conduzido pela neurocientista americana Julianne Holt-Lunstad, da Brigham Young University, o isolamento social é tão prejudicial à saúde quanto fumar 15 cigarros por dia. Entre os riscos encontrados estão:

  • Aumento nos casos de demência;
  • Desenvolvimento de vícios que não existiam anteriormente;
  • Doenças cardíacas e maior risco de AVC (acidente vascular cerebral);
  • Quadros de depressão e ansiedade.

Quais os grupos mais suscetíveis aos efeitos do isolamento?

Um segundo estudo, desta vez conduzido pela equipe do neuropsicólogo Antônio de Pádua Serafim, do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da FMUSP (Faculdade de Medicina da USP), mostrou os grupos mais suscetíveis a enfrentarem a solidão na pandemia.

Com o título de “Estudo exploratório sobre o impacto psicológico da Covid-19 na população brasileira em geral”, os dados mostram que 40,5% das mulheres avaliadas demonstravam sentir níveis altíssimos de solidão, associados à depressão e ansiedade.

Destas, a maioria possuía filhos, o que lhes exigia uma jornada dupla de trabalho, mesmo em casa. Na sequência, vieram as mulheres que vivem sozinhas o que, segundo os pesquisadores, seria causado pela falta de perspectiva no futuro.

Os idosos também costumam sofrer mais com situações como essas, já que boa parte convivia com o isolamento antes mesmo do confinamento forçado pela doença.

Como posso lidar com o sentimento de solidão?

Em meio às incertezas dos tempos atuais, alguns passos simples podem fazer a diferença no combate à solidão na pandemia. São eles:

  • Fique menos tempo nas redes sociais

Isso não significa que você precisa abandoná-las por completo. O ideal é dedicar alguns minutos por dia para checar notícias e conversar com amigos, mas evitar passar horas rolando o feed, o que aumenta ainda mais o sentimento de ansiedade e tristeza.

  • Desenvolva novos hobbies

Você também pode afastar o sentimento de solidão encontrando novas maneiras de se entreter. Assim, que tal começar a cuidar da pele e dos cabelos periodicamente, ou a escrever em um diário? Ouvir um audiolivro ou um podcast de humor também são excelentes opções para o momento.

  • Mantenha-se ativo

Praticar exercícios libera endorfinas e serotonina, hormônios que possuem impacto significativo no humor e na sensação de prazer.

Enquanto não é possível sair ou encontrar parentes e amigos, você pode aproveitar para fazer uma série de exercícios na sala de casa, dançar enquanto realiza uma faxina ou simplesmente usar o quintal para brincar com seus filhos.

  • Não tenha vergonha de pedir ajuda

Se o seu sentimento de solidão na pandemia está cada dia mais presente, procure por um terapeuta online, por exemplo. Essa é uma ótima alternativa para quem não quer sair de casa durante o isolamento social, mas sente que precisa conversar com um especialista.

Com a ajuda adequada, é possível aprender maneiras de lidar com os sentimentos negativos, cuidando da sua saúde mental e física e tendo, consequentemente, uma vida mais plena e feliz até que tudo volte ao normal.

Se você está à procura de um serviço de saúde diferenciado, venha conhecer agora mesmo as opções oferecidas pela Riopae. Além da assistência funeral completa, associados da Riopae também tem descontos nos atendimentos da Clinipae. Para isso, basta entrar em contato com a equipe de atendimento!

Posts relacionados

Deixe um comentário